sexta-feira, 17 de março de 2017

O Grande Duelo Entre o Médico e o Diplomata.

Campo de Batalha: Casa do Big Brother Brasil.

Oponentes: Marcos x Rômulo.

Rômulo: Diplomata, 41 anos, culto, enorme poder de persuasão, carismático, viajado. Entrou no BBB, segundo disse, para cumprir uma função. Que função? Se falou não lembro, não li, não faço ideia se cumpriu.

Marcos: Médico, 37 anos, estudioso, brincalhão, tranquilo, voz mansa. Entrou no BBB, segundo disse, para se divertir. E se divertiu, até que uma relação conturbada com uma ninfeta atraente, porém repleta de si mesma, e por consequência disso, roubou-lhe a paz.

Rômulo e Marcos, no início do programa formaram o trio Confination com Ilmar e parecia que seriam um oásis de sabedoria num deserto repleto de jovens vazios. Mas a cola que os unia era de baixa qualidade e logo o diplomata Rômulo preferiu se tornar mentor e controlador das mentes vazias dos jovens da casa. Carregado de preceitos do que seria socialmente aceitável, tornou-se o ditador de regras de comportamento e dirigiu suas baterias de guerra contra Ilmar e Emilly. Isso mesmo, o diplomata, que deveria ser um moderador de crises, tornou-se general em campo de batalha.

Marcos por seu lado, acostumado a crises que envolvem riscos de morte, tentou por muito mais tempo que o diplomata, moderar as crises entre as pessoas da casa através do diálogo. E mostrou uma paciência para ouvir maior que o diplomata que se mostrou bem mais interessado em ser escutado, e obedecido, do que em ouvir.

O duelo teve seu ponto máximo em um almoço, aonde em duelo de não ditos, colocaram claramente um ao outro as suas posições no campo de batalha.

Guerra deflagrada.

O diplomata procurou tornar sua opinião em verdade absoluta. Deu diagnósticos de moralidade sem pedir exames complementares.

O médico procurou desnudar a verdade para ter a sua opinião. Esperou por todos os exames complementares para oferecer um diagnóstico.

Quem está certo?

Quem está errado?

Isso importa?

Dificilmente um dos dois ganhará o prêmio, uma vez que a grande audiência do programa é formado de pessoas jovens muito mais interessadas no duelo de beleza com mentes vazias entre Vivian e Emilly do que no duelo de sabedoria travado entre o Diplomata e o Médico.

E com isto passa quase desapercebido o maior duelo já visto neste programa.

Não é um duelo entre o bem e o mal, por mais que o diplomata tente qualificar desta maneira, um duelo entre o que é aceitável na sociedade e o que não é, como se fosse ele, o diplomata, o dono da verdade, o dono da razão.

Neste duelo não haverá derrotados.

Nenhum dos dois sairá vencedor.

O grande vencedor seremos nós que soubemos apreciar este duelo com a satisfação de estar vendo um jogo de xadrez bem elaborado.

E espero, honestamente, que no tabuleiro da vida, fora da casa, estes dois Mestres possam apertar a mão um do outro como acontece nas grandes disputas de Xadrez.

5 comentários:

  1. Perfeito texto parabéns...O diplomata foi claro quando disse q um dos objetivos foi ter entrado para ganhar visibilidade
    No passar dos dias foi questionado pelo Doutor e confirmou uma candidatura numa futura eleiçao

    ResponderExcluir
  2. Uma pena que Rômulo tenha levado para dentro do jogo o sentimento de muitos brasileiros, que no momento, lamentam o descuido com o caráter e comportamento que se instalou no país. Ele foi com o propósito, me parece, de mostrar uma retidão necessária para o nosso cenário político, mas se perdeu, quem sabe, no sentimento humano. Aqueles sentimentos que nos traem e desestabilizam, além do que,o público nao se interessa por pessoas contidas e certinhas. Marcos se perdeu nos braços da jovem que mexeu com sua vaidade. Espero ter notícias de uma bela amizade aqui fora. O perfil do vencedor dessa edição é o espelho de uma sociedade que não vem se importando com regras há muito tempo.

    ResponderExcluir
  3. Um ótimo texto, eu assisto o programa e confesso que minha torcida é pelo Marcos. Ele, Ilmar e até a Emilly formam a melhor parte do programa e para mim o campeão sai do trio, Marcos vai "sobreviver ao paredão" e vamos ver como a casa vai ficar sem o Rômulo, espero que bem.

    ResponderExcluir
  4. Em resumo o médico x o monstro. Gostei dá narrativa.

    ResponderExcluir
  5. Se já te admirava via Twitter, conhecer seu blog me fez mais fã da sua forma direta e inteligente de decifrar o que chamam de reality. Admiro suas analogias claras e respeitosos. Parabéns Titus. Voltarei sempre que der para ler suas matérias. Abraços

    ResponderExcluir

Infelizmente, me vejo obrigado a moderar comentários. Favor tenham paciência, que os comentários sem ofensas pessoais serão publicados.